Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

sábado, julho 28, 2012

O Rock Não Errou! - Crônicas Roqueiras


O Rock Não Errou! - Crônicas Roqueiras

“Dizem que o Rock andou errando / Não valia nada, alienado / E eu aqui na maior das inocências / O que fazer da minha santa inteligência / Será que esse é o meu pecado, porque / Errou, errou, errou, errou / Eu sei que o rock errou / Acho que é melhor passar a borracha / Ninguém é perfeito você não acha?/Nem mesmo o bruxo da vassoura / Música do Planeta Terra / Cantiga de guerra / Canto, espanto e fico rouco / E ainda acham pouco porque / Errou, errou, errou, errou / Eu sei que o rock errou / Vivemos num país bem revistado / Uma nova volta ao passado / Muito louco anda solto / De colarinho, é claro / Se eu respiro inspiro mais cuidado / Desse pobre coitado, porque / Errou, errou, errou, errou / Eu sei que o rock errou”

Muito mais interessante do que eu ficar aqui, tentando escrever uma apresentação a este conjunto de textos sobre Rock, escritos e publicados nos ultimos 10 ou 12 anos, acredito que seja deixar essa letra do Lobão. E estou certo que quanto ele canta que o Rock Errou, é apenas um jogo sonoro, uma brincadeira com "and roll"... Nada mais. E arremato: o Rock não errou, de forma alguma. Apenas num determinado momento tomou o atalho errado, indicado por uma placa sacanamente colocada à beira da estrada por algum ganancioso ou preguiçoso. Mas mesmo assim, foram apenas alguns que pegaram tal atalho, porque os verdadeiros apreciadores do Rock como movimento mais que musical, mas social e sempre de vanguarda, continuam a trilhar o caminho principal. Boa leitura!

Luiz Carlos Barata Cichetto
Inverno 2012

Pedidos: http://abarata.com.br/livros.asp?secao=L&registro=2
--------------------------------------------------------------------------------------
Pizza, Poesia & Rock'n'Roll
Luiz Carlos Barata Cichetto

Alguma coisa acontece em meu coração... mas a esquina da São João com a Ipiranga não é mais a mesma! Caetano não é mais o mesmo, os Mutantes... mudaram e se mudaram. A Augusta está cheia de putas e puteiros e não existem mais shows de Rock decentes. O muro caiu, o socialismo acabou... e agora José? E agora João? E agora você? Acreditávamos em sonhos e agora são os sonhos que não acreditam em nós... A gente continua com fome de paixão... Acreditar em quê? Sexo, Drogas e Rock'n'Roll? Acredito em Pizza, Poesia e Rock'n'Roll... Janis, Lennon, Raul... Estão todos mortos e os fracos estão todos vivos... Eu inclusive! Comamos a Santa Ceia da "ingnorância"... Pobres crianças sem esperanças e empregos e sonhos... O Rock está morto! Morreu junto com Deus! O sonho acabou, a festa acabou... E agora José? E agora John? Apanhem os pedaços de cérebro espalhados por Nova Iorque... Na frente do Edifício Dakota... Quero cantar, quero contar, uma história bem antiga, caminhando e cantando e seguindo a canção... Somos todos iguais braços dados ou não (?) Não, não somos todos iguais, braços dados ou não! Abraços dados ou não... O que aconteceu com a Poesia? Ah, deixa pra lá... E com a Pizza? Quero a minha com mortadela... Estou enjoado hoje! O estômago dói de fome e eu não como ninguém há muito tempo... Morri e nem sei em que mês... Metrô Linha 743... Raulllllllllllllllllllllllllll! Comeram meu cérebro no jantar de ontem à noite e eu nem percebi... Ah, quanta coisa queria falar, mas minha língua está cortada... Então, escuta aqui... Cinco e meia da manhã e eu não sei se o dia amanhece hoje e se amanheceu ontem... Insônia terrível essa! Queria alguém agora deitada em meu colo, e eu lhe fazendo cafuné... E ela chupando meu pau! Credo, que cara nojento! Quero carinho e sexo e não tenho o que nem quem comer... Então escreve ai! Meu caderno de anotações está cheio de letras de música, de poesias e rabiscos. Pára com isso! Quero minha pizza com molho de menstruação! Escrevo poesias para não enlouquecer... Me masturbo embaixo das cobertas para não esquecer... Que existo. Já tive amores sim! Existe uma mulher que está comprando uma escada para o céu e eu nem sei onde isso vai dar... Quem vai dar? Pra quem? Pra mim, que é bom, ninguém quer! Esqueci quem sou e nem lembro porque... Mas por quê? Existiam putinhas bonitinhas na esquina da São João com a Ipiranga... Hoje tem apenas um bando de camelôs e Caetano nem Gil andam por lá apenas os novos baianos... O que aconteceu com a música, meu Deus do Céu? Do Céu? Meu? Deus? O que aconteceu com meu Deus? Ele fugiu de mim igual minha mulher? O que esperar de mim? Alguém espera por mim? Minha mãe? Onde anda? Sonho que se sonha só... É só um sonho... Mas ontem eu tive um pesadelo, quem quer dividir comigo? Pára com isso, cara! Todos os meus pensamentos estão sendo vigiados, existe um americano em cada esquina e em cada esquina da minha angústia, uma cançãozinha antiga me faz lembrar minha paixão! Ah, mas existem ainda a Pizza, a Poesia e o Rock'n'Roll! Ah, quanta coisa eu queria falar, escrever, mas arrancaram meus dedos! Ainda bem, senão eu ia enfiá-los no seu rabo sujo! Foda-se, amigo! Meus sapatos estão gastos, minhas calças rasgadas e eu nem sei o que pensar! Espera um pouco ai... Vou ali na esquina me suicidar e já volto! Patas de baratas arranham meu cérebro e hoje eu nem comi nenhuma... Aceita um cafezinho? As paredes escutam meus pensamentos e surdas são as mulheres! Paredes? Os sonhos não me deixam dormir... E a esquina da São João com a Ipiranga... Onde fica mesmo? O que fizeram com o Rock? O que fizeram com a Poesia? O que fizeram com a Pizza? O carteiro entregou uma carta... de baralho! Caralho!!!!!!! Tem certas rimas que são perigosas! Ah, como eram gostosas as putinhas da São João! E as Pizzas, então....! A Poesia... Um dia encontrei umas folhas datilografadas com poesias no chão da São João... Seria alguma Puta-Poeta? Ah tinha, sim... a Regina era uma puta que tinha uma buceta tão quente que queimava a cabeça do pau! Quer poesia melhor que essa! Aprendi muito com as putas da São João.... Caetano comeu alguma delas? Acho que não! Lembrei de Henry Miller... sei lá, esse jeito de escrever! Foda-se ele também! O velho Buk deve estar se mijando de rir disso! Tomando um porre com algum anjo! Quando eu morrer... morrer.... morrer... Eu tenho um sonho... Então passa manteiga nele! Estou nu na chuva e na escuridão e nem um Rock pra acalmar minha ira! Garçom traz uma Pizza, de Mussarela com bastante azeitona! E um guardanapo de papel pra eu escrever minhas mágoas e depois limpar o cu! Bobagem! Chama a polícia! Prendam o garçom e o poeta! Tirem esses pregos da minha mão que eu não sou Jesus! Ah, Madalena! Não conheci nenhuma puta com esse nome! As putas, coitadas, nem têm nomes! Ângela era uma puta por quem me apaixonei! Onde anda? Com certeza é uma puta-velha ou uma puta-morta! Ao vencedor, as baratas! "Eu desisto, Não existe essa manhã que eu perseguia" O dia nem clareou, as putas estão indo pra casa! E tudo o que eu preciso é de Pizza, Poesia e Rock'N'Roll!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.