Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

sábado, setembro 22, 2012

Carro Bomba: "Honeeesssto!"


Carro Bomba: "Honeeesssto!"
Luiz Carlos Barata Cichetto
“Vamos todos dar as mãos / Opressores / Vocês vão se arrepender de terem nascido / E eu encontro / Um motivo para rir / Da sua cara / Mesmo sem você consentir...” - Transgressores

Primeiro sábado de Primavera em São Paulo. Acordei num autêntico “Rítmo de Fúria”, com dor de cabeça, no horário que as pessoas ditas normais usam para almoçar. Com sede, mas não de água, mas de musica pesada, de musica barulhenta, estridente, berrada com a garganta e com o pulmão e a cabeça explodindo. Musica tocada com distorção na guitarra e tambores e caixas e pratos socados com raiva. Na estante que eu recém reformei especialmente para guardar CDs, a discografia de uma banda que reputo como uma das melhores que surgiram no Século XXI: Carro Bomba.

Acompanho o trabalho dessa banda desde o início. Mas mesmo antes do inicio do Carro Bomba já conhecia e admirava o talento de um músico excepcional, autodidata, Marcelo Schevano. Desde a época da Patrulha do Espaço que acompanhei durante alguns anos, sempre me admirava com o talento musical de Marcelo. Não apenas guitarrista, mas um multi-instrumentista, que lutou para se impor como musico, mesmo contra todas as marés contrárias. E quando ele, juntamente com Luiz Domingues e Rodrigo Hid, outros dois grandes instrumentistas deixaram a Patrulha seguindo caminhos diferentes, passei a olhar também para esses caminhos. Luiz e Rodrigo formaram com Xando Zupo, outro grande musico, a banda Pedra, enquanto o Marcelo, irmão do Ricardo da "Baranga" se juntava em uma festa para uma despretensiosa "Jam" com um baixista que, embora não tivesse um histórico de grandes bandas tocava seu contrabaixo com muita competência e uma grande dose de ensandecimento: Fabrizio Michelloni. A eles juntava-se o baterista Ricardo Bronx e nascia um "Power Trio" dos mais pesados que o Rock Brasil conhecera até então.

Desde esse início, ainda em 2003 e até agora, quase dez anos depois, o Carro Bomba tem crescido em termos de música, de letras e, principalmente em “Atitude”. E embora a banda tenha trocado três vezes de baterista e a partir do terceiro disco deixado de ser um Power Trio para ser um, digamos, "Power Quartet" com a entrada do cantor Rogério Fernandes - que deu à banda um peso ainda maior, uma definição do som para algo que, do "Rock Pesado" misturado à influencias "Funk" do inicio, chega a ser totalmente Metal no ultimo disco, "Carcaça", lançado em 2011 -, a pegada tem sido cada vez mais forte e violenta e as letras cada vez mais "pesadas", saindo das mesmices utilizadas pela maioria das bandas que desse estilo. Letras que, podem até não ser a preocupação maior dos músicos, mas que quando são bem elaboradas, bem feitas e com algum conteúdo social e qualidade poética, fazem o diferencial positivo. E isso, essa preocupação com o que estão dizendo através de sua música, o Carro Bomba sempre primou. 

(Penso o seguinte: se a musica, há séculos, mesmo contra a opinião dos puristas passou a ser a integração do instrumental com a poesia, deve ser pensada nesses dois flancos. Mas a maioria dos compositores, particularmente no Rock, invariavelmente desprezam a letra, a poesia, fazendo com que ela seja apenas um "adorno necessário" a musica. E então, a maioria das letras de Rock no Brasil são feitas de qualquer jeito, estão ali por estar. E isso acaba se refletindo na temática: "bebida, sexo, carro ou motos". Como se eles próprios só vivessem disso. Mas, felizmente, existem artistas como os que formam o Carro Bomba, o Uganga, o Psychotic Eyes que pensam nesse conjunto. Felizmente!)
“Até quando você vai rezar? / Procurando ser eterno / E se o dinheiro só pagar / Seu lugar lá no inferno?” – “Sangue de Barata”
E então, escutar a discografia do Carro Bomba, neste primeiro dia de de primavera, na sequencia dos lançamentos, pegando ai a evolução da banda é algo extremamente profícuo. Quatro discos em sete anos, uma sequencia de "atentados" que não deixam pedra sobre pedra. A cada disco mais peso, mais força, mais atitude "rocker". ("Nós vamos descontar no som toda nossa injúria"). O ritmo do Carro Bomba é realmente o que eles cantam nessa música: "Ritmo de Fúria", do "Segundo Atentando".  E esse ritmo é o que faz com que o Carro Bomba se sustente como uma das maiores bandas, com lugar merecido e destacado na história do Rock Brasil, por sua capacidade de explodir, detonar as cabeças carentes de Rock e Atitude!

E terminando, defino a música do Carro Bomba com uma palavra que era sempre usada pelo Schevano desde a época da Patrulha do Espaço: "Honeeesssto!". É isso! E se por acaso acordarem num sábado, pode ser numa terça ou sexta de Primavera ou mesmo de Inverno, em "Rítmo de Fúria", com vontade de escutar música honesta, pesada, com atitude e competência, peguem a discografia do Carro Bomba e escutem no volume mais alto que puderem. Afinal: "A Hora Agora é de Fazer Valer" (Qual que é a sua verdade ? / Ficar aí no espelho, cheia de vaidade / Ou sair na rua pra aprender / A se defender e ainda sorrir / Eu tô pronto pra encarar / O que estiver por vir / Compreender que é pra poder prosperar / Você é que não ficar aí, a esperar ") Recado dado! Afinal, Rock não é apenas pra bater cabeça, mas também e principalmente para fazê-la pensar. E agir!!!
“Nuvem negra me deixa em paz / O corpo sente a calma / Não cabe na ampulheta / O deserto da minha alma / Bolsos vazios e nada mais / Diversas histórias / Discos e acordes / Guardados na memória” – “Fui”
------------------------------------------------------------------------------------
Discografia do Carro Bomba


“Carro Bomba”
2004
Produtor: Renê Seabra
Line Up:
Marcelo Schevano - Guitarra e Vocal
Fabrizio Michelloni - Baixo e Vocal
Ricardo Bronx - Bateria
01. O Dobro ou Nada
02. Rock 'n' Roll Machine
03. Carro Bomba
04. A Hora Agora É de Fazer Valer
05. Ode À Bohemia
06. Louco de Dar Nó
07. Sonhos
08. Crocodilagem
09. Raivosas Roedoras
10. Transgressores
------------------------------------------------------------------------------------
“Segundo Atentado”
2006
Produtor: Carro Bomba
Line Up:
Marcelo Schevano - Guitarra e Vocal
Fabrizio Michelloni - Baixo e Vocal
Ricardo Bronx - Bateria
01. Carro Bomba's Rollin'
02. Ritmo de Fúria
03. Eu Sei Mas Não Me Lembro
04. Uma Cerveja e Um Pouco Disso
05. Overdrive Rock 'n' Roll
06. A Luz, A Paz E A Bomba
07. O Pino da Granada
08. O Vazio
09. Bala de Prata
10. Usina de Problemas
11. Vou Me Esbaldar
------------------------------------------------------------------------------------
“Nervoso”
2008
Produtor: Heros Trench/ Marcello Pompeu
Line Up:
Rogério Fernandes - Vocal
Marcelo Schevano - Guitarra e Vocal
Fabrizio Michelloni - Baixo e Vocal
Fernando Minchillo - Bateria
01. Punhos de Aço
02. Sangue de Barata
03. Bomba Blues
04. Fui
05. Válvula
06. O Passageiro da Agonia
07. O Foda-se
08. O Foda-se II
09. Intravenosa
------------------------------------------------------------------------------------
“Carcaça”
2011
Line Up:
Rogério Fernandes - Vocal
Marcelo Schevano - Guitarra e Vocal
Fabrizio Michelloni - Baixo e Vocal
Heitor Shewchenko - Bateria
01. Bala Perdida
02. Queimando a Largada
03. Carcaça
04. Combustível
05. O Medo Cala a Cidade
06. Mondo Plastico
07. Blueshit
08. Corpo Fechado
09. O Foda-se III
10. Tortura (Pau Mandado)

------------------------------------------------------------------------------------
Links:
Site Oficial: www.carrobombaoficial.com.br
Mídia: http://brasilmusicpress.com/pt/clientes/cliente.php?cID=72
Em A Barata, também publiquei inúmeras matérias sobre os CDs, entrevista com Fabrizio Michelloni e Crônica baseadas em músicas. (www.abarata.com.br)
22/09/2012
Em Pé: Fabrizio Michelloni e Marcelo Schevano do Carro Bomba, Ricardo Soneca e Xande do Baranga com  René Seabra ao meio; Percy Weiss.  Sentados: Gustavo, do Homem Com Asas, Rolando Castello Júnior da Patrulha do Espaço e Barata Cichetto. CCSP - 22 e 23 de Setembro de 2007 - Foto: Lud San

3 comentários:

  1. Você falou uma coisa que eu já sabia mas ainda não tinha escutado, lido e muito menos falado. "Uma das melhores bandas que surgiram no século XXI". Os "plays" (os CD's) Carcaça e Nervoso são exatamente tudo aquilo que procurei no rock pesado cantado em português durante anos.

    ResponderExcluir
  2. Sim!
    Nòs temos rock pauleira (que nem dizia meu Pai) de qualidade e cantado em portugues.
    Não consigo entender porque uma banda dessa não tem nenhum espaço na mídia.
    Pelo menos não temos que aguentar neguinho dizendo que tem que da valor as bandas nacionais que eles dizem que são rock por causa da rede bobo.
    Tipo Jota Quest, Skank, Paralamas do Sucesso e até pasmem Restart
    Viva o verdaeiro rock brazuca.
    Viva o Carro Bomba!

    ResponderExcluir

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.