Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

domingo, setembro 23, 2012

Selvageria – “Selvageria”


Selvageria – “Selvageria”
Luiz Carlos Barata Cichetto

Usando e abusando de todos os clichês do gênero Speed/Thrash Metal, a banda “Selvageria” por horas soa como retrô, resgatando a sonoridade do Metal Brasil dos anos oitenta, outras soa "moderna" com a atualização do estilo de forma criativa, falando de temas recorrentes como guerras apocalípticas, o mal e o inferno e referencias ao próprio estilo. Uma das letras, a que mais me chamou a atenção, foi a de "Cinzas da Inquisição" que em seu inicio fala: "Fugindo de assassinos, o terror dos inocentes / Medo e terror em seus olhos, pânico rodeia sua mente / Perseguido por furiosos, atacado pela multidão / Corpos queimados, enfileirados, fogueiras acesas, a dor e o terror / Cinzas jogadas, no meio das praças, o fogo ardendo e muita dor ..."  

Também a busca pela união da sua “tribo”, sempre um tema muito utilizado pelas bandas do Metal é fartamente usado pelo “Selvageria”. Ao menos duas das musicas falam desse assunto: "União Total" e "Hino do Mal" . O fato é que entre todas as tribos dentro de todas as vertentes do Rock, ai incluído o Metal, as que mais conseguem essa união é justamente o pessoal das denominações "’AlgumaCoisa-Metal". São eles que ainda conseguem levar algum publico a apresentações. E um publico ativo e participante.

A "Selvageria" foi formada em 2005 em São Paulo e nesse mesmo ano lançou a demo "Metal Invasor". Sempre com letras em português, o que sob meu ponto de vista já é um ponto positivo, a banda chegou ao primeiro semestre de 2010 com algumas mudanças de formação e lançou seu primeiro disco, homônimo, pela “Dark Sun Label”,  propriedade da “Dies Irae”, com a produção e mixagem de Rodrigo "Skillo" Toledo. Em 2011 a Selvageria participou do "Metal SP Festival" no Blackmore Rock Bar, que teve como atrações principais duas lendas do estilo, o “Vulcano” e “Salário Mínimo”. O visual da banda é o clássico "headbanger", carregado de rebites, correntes, cintos, calças apertadas e tênis brancos de cano alto.

Enfim, Selvageria” não faz nenhuma grande masturbação mental, não traz idéia absolutamente nova em relação aos destinos do planeta, mas serve a seu propósito, que é o de fazer o pessoal bater cabeça, resgatando e atualizando o que existiu de melhor no Metal brasileiro dos anos 80, tida por muitos como a década perdida e para outros a melhor de todas.

Uma critica pessoal com relação ao CD físico, é que achei o desenho da capa assinado pelo guitarrista Capi, apesar das referencias terem sido muito bem pensadas (lobisomens, caveiras, dedos sangrentos e referencias paulistanas que deixam claras suas origens), tem um traço um tanto simples demais para o tema. Talvez uma montagem fotográfica funcionasse melhor. E a impressão do encarte, com letras em tipo gótico em um vermelho muito forte sobre o fundo preto dificulta absurdamente a leitura.

Por fim, o CD "Selvageria" da banda homônima tem muitos pontos altos e pontos baixos, mas no geral é um trabalho que merece e precisa ser escutado por todos aqueles que apreciam o estilo, e de forma geral se interessam por Metal cantado em português e tocado com competência. 

Faixas:
1 - Trovão de Aço
2 - Metal Invasor
3 - Na Lâmina da Foice
4 - Águias Assassinas
5 - Hino do Mal
6 - União Total
7 - Cinzas da Inquisição
8 - Garra do Cão
9 - A Serviço do Mal

Formação Atual:
Gustavo - Voz
Capi - Guitarra
Tomás - Baixo
Andrei (Baixo, no disco)
Danilo Toloza - Bateria

Referencias na Internet:
http://letras.mus.br/selvageria/
http://www.myspace.com/selvageria


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.