Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

sábado, fevereiro 02, 2013

Não Quero a (Sua) Dor


Não Quero a (Sua) Dor
Barata Cichetto


Pede que eu fale sobre as dores severas que sente
Mas eu que sou fingidor, poeta que deveras mente
Falo apenas por mim, de mim e sobre mim somente
Pois a dor alheia não é algo que um poeta comente.

De ontem em diante decidi que não quero sentir outra dor
E não tenho por isso e portanto, nenhuma culpa ou pudor
Em especial as dores tão cheias de desencanto e egoísmo
Pois dor é de um e cada qual que carregue seu heroísmo.

Sou poeta e tal a qualquer um hediondo egoísta
E não tenho uma alma, mas o espírito de artista
Sei apenas falar da minha e da falta de dentista
E não espere de mim qualquer tolo ato altruísta.

Se teu coração é de carne e sangra todo dia, bom proveito
Porque o meu é de impuro metal e nada dele eu aproveito
E enquanto ficas noites inteiras lendo o Diário de Um Mago
Eu, que nem conheço seu rosto leio a Pessoa e a Saramago.

-----

O que é mesmo a dor? E não falo de dores de amores, de desencantos e pudores. Falo sobre a dor que rasga o corpo, malditos micróbios, germes filhos da puta! A hérnia, a gripe e a cefaleia  dores sem cores nem poesia, apenas dores malditas a atormentar minha noite e a fazer de mim apenas um verme que se esgueira pela beirada da vida, em busca de um remédio, que nunca chega. Malditos remédios! Desgraçada dor!


02/02/2013


4 comentários:

  1. O seu poema é bom mas, doi no sentido de que é amargo , triste e desencantado com a vida. Está bem dentro da tradição do Baudelaire. Fala da patologia mas esquece o coração.

    "A dor e o amor
    Caminham de mãos dadas
    Amador ama a dor
    Armador cheio de rancor
    Buscando calor...
    Sabor!
    Amor…" . Barbieri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A dor, não está no coração, mas na mente, querido Barbieri. Tanto quanto o amor. E se é "bom mas dói no sentido de que é amargo", atingi meu objetivo.

      Excluir
  2. O amor não pode doer. E o poema me cabe como luva.

    ResponderExcluir
  3. A dor, minha amiga, Senhora Loirinha, sempre cabe a todos nós como uma luva, bem mais que o amor. Beijos!

    ResponderExcluir

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.