Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

quarta-feira, março 06, 2013

A Ponte Bêbada


A Ponte Bêbada
Barata Cichetto

E eu, bêbada ponte, uno uma a outra e a outra a uma
Margem do rio, córrego de esgoto coberto de espuma
Restos de comida podre, pedaços de sofás, bichos mortos
Trepadas da noite, porra e pedaços de corpos de abortos.

Ponte bêbada sobre o rio que barco agora não carrega
Nem bêbado nem nada, rio que da morte se encarrega
Concreto armado, vergalhões retorcidos ao vento imoral
Minhas costas doem e ranjo de dor ao sabor do temporal.

Sobre mim carros egoístas, ônibus lotados de esperanças
E taxis que carregam a dor dentro de corpos de crianças
E eu apenas uma ponte bêbada, sábia, arrogante e triste
Rígida feito o falo de ditador que ao tempo ainda resiste.

Lembrai-vos sim das flores, da montanha, do sol e do monte
Mas lembrai-vos também de mim, bêbada e dolorida ponte
Que esticada entre dois pontos é o consolo dos desesperados
E o desespero dos bêbados, poetas e dos amantes esperados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.