Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

sexta-feira, março 15, 2013

O Livro das Revelações

O Livro das Revelações
Barata Cichetto
"Bind us all together, / Ablaze with Hope and Free. / No storm or heavy weather, / Will rock the boat you'll see. / The time has come to close your eyes, / And still the wind and rain. / For the one who will be King, / Is the watcher in the Ring. / It is You"  - Iron Maiden - "Revelations"
Jules Joseph Lefebvre - Mary Magdalene In The Cave -  1876

Pelas igrejas procurei ansioso pelos deuses
Uma procura longa de centenas de meses.
E conheci coisas que nem diabos acreditam
Debaixo das saias das monjas que meditam.
Sobre púlpitos de cristal, bundas de crentes
E nas sacristias comendo rabos de carentes.

Penitências, trabalhos em esquinas e sacrifícios
Dedicados a estatuas do tamanho dos edifícios.
A pomba e o macumbeiro com sapos na cintura
Um par de facas na mão e o cabelo com tintura.
As ameaças de morte e a redenção pelas águas
E eu, que tinha apenas dúvidas, risos e mágoas.

E deuses nada, porra, e sou eu que não minto
Apenas o padre que queria chupar meu pinto.
Nenhuma sensação eu tinha da gloria eterna
E nenhum tesão sentia pela história fraterna.
Apenas medos do inferno, do céu e da morte
Esperando dos deuses mudarem minha sorte.

O pastor cheirando a urina, o padre a naftalina
E eu sempre achando uma merda festa natalina.
A crente dando a buceta no parque e eu fudido
E os deuses nunca impediram de eu ser o traído.
E outra a congregar machos e fêmeas na cama
Enquanto o demônio não fode, mas leva a fama.

Então ela leu minha sorte em cartas de baralho
E eu sabia que aquela me daria mais trabalho.
O turbante da cigana, o preto, a pomba pelada
E na hora de foder era apenas uma puta gelada.
Réstias de alho, despacho na esquina e eu morto
Sem saber mais o que era reto e o que era torto.

Eu bem que quis acreditar e bem eu quis sentir
Mas a mim mesmo não sabia o que era mentir.
Agora não tinha crença, nem esperança e medo
E deuses não tinham nem eram nenhum segredo.
Pois o que não existe não tem como se esconder
E não há o que perguntar ou a quem responder.


Um comentário:

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.