Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

quinta-feira, março 07, 2013

O Trem Bêbado


O Trem Bêbado
Barata Cichetto

Sobre pontes bêbadas que balançam sob meus trilhos
Trafego altivo, meu ferro e aço carregando seus filhos
Que abrem o meu ventre ao aportar na estação imunda
E eu os esmago entre as paredes feito carne de segunda.

Engulo a seco carregando no bojo pobres pensamentos
E solto nas curvas um apito que encobre seus tormentos
Mas o silêncio das carnes que carrego esconde a morte
Dos que moem suas carcaças em busca de melhor sorte.

Lembrem dos tempos românticos, dos tijolos da estação
Das locomotivas soltando fumaça, caminho a prestação
E aguardem ao sinal sonoro de proibido pensar a bordo
Porque antes de cairem no vão da plataforma os acordo.

Bêbado com nojo de alguém vomito na próxima parada
Trilhos tortos e aço fundido causam vertigem descarada
Então apanhem agora os restos moídos de seus belos filhos
Porque bêbado e alegre sigo brilhando sobre meus trilhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.