Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

sexta-feira, março 22, 2013

Shi


Shi
Barata Cichetto

Poesia é apenas uma prostituta nojenta
Por isso a pontapés eu a atiro na sarjeta.
Malvada, é ela a culpada da minha desgraça
Megera, por causa dela não tenho uma calça.
Não tenho por ela nenhuma espécie de respeito
E a culpo por tudo aquilo que não tenho feito.

Outro poema? Penso agora antes de continuar
Desgraças e maledicências, coisas de lupanar.
Mas antes que alguma decência me impeça
Encaixo no quebra-cabeças uma ultima peça
Procurando ter ao fim ter um quadro sórdido
Pois é ela do pintor apenas o quadro sórdido.

Há tempos a tenho ofendido demais, puta fedorenta
Mas que a tamanha desgraça pouca gente aguenta
E eu a suporto a tempos maiores que um matrimônio
E ainda fico calado quando me chamas por demônio
Ah, maldita a sugar minha carne e franzir minha testa
Por que não me deixas morrer, apenas o que me resta?

Não, eu não quero foder contigo, piranha desalmada
Deixe que fique somente com o ardor da musa amada
Pois agora envelhecida e quase morta imploras por mim
E diz que jamais descansará enquanto não vires meu fim
Mas antes eu chutarei sua boca para que te cales, vadia
Pois matar-te é um ato de sobrevivência não de covardia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.