Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

domingo, maio 05, 2013

À Vida


À Vida
Barata Cichetto

Morri! E tem tanto tempo que agora nem recordo
Certo! Tem mortes que morro sempre que acordo
A primeira foi no momento do parto, foi horrorosa
A dor que senti! E eu nem sabia que dor é gloriosa.

Morri! E tem tanta morte que eu nem morro agora
Certo! Tem as que morro sempre que chega a hora
E a última foi um instante antes do exato momento
Em que morri pela penúltima vez antes do aumento.

Morri! E uma de minhas mortes eu ainda era criança
E, certo! Eu nunca espero das coisas sem lembrança
Lembro só que a dor na infância é apenas arremedo
Daquilo que será conhecido com a alcunha de medo.

Morri! E nunca esqueci de nenhuma de minhas mortes
E, certo! Lembro de que as dores nem eram tão fortes
Somente recordo que em todos meus eternos falecimentos
Nunca morri sem deixar-te os mais ternos agradecimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.