Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

sexta-feira, maio 31, 2013

Estrábico


Estrábico
Barata Cichetto

E eu que sou o estrábico perceptível
Tenho desvio de septo, algo horrível
E tenho fígado podre e pedras no rim
Penso que nada poderia ser tão ruim.

E eu, que tenho nos pés calos doloridos
E psoríase no pinto e escamos coloridos
Ainda penso em qualquer coisa penosa
Que poderia sofrer de gangrena gasosa.

Mas até que algum cão chupe meu tutano
Eu, um poeta sem carnes, pobre e puritano
Ou até que sangre a mordida do cachorro
Penso que é preciso atender a seu socorro.

E eu, que depois de dois maços de cigarros
Engulo a morte misturada a meus escarros
E penso em Marlboro e em algo bem curioso
Que um poeta estrábico é um tanto perigoso.

E eu, embriagado apesar de uma hepatite
Sofrendo dores horríveis por uma sinusite
Escrevo montes de poemas  sem piedade
Porque a dor maior é a dor da realidade.

Mas eu, escorraçado feito pombo da cidade
A barriga roncando pela cruel necessidade
Ainda tenho forças de soltar um peido fedido
E gritar: foda-se a quem a mim tem ofendido.

30/05/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.