Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

terça-feira, junho 25, 2013

Cohena Está Morto!

Cohena Está Morto!
Barata Cichetto

E agora, ao completar cinquenta e cinco de idade
Sinto faltar o ar que mantém a minha serenidade
Enlouqueço dia após dia, nada a me separar da dor
Pois então que morra a loucura, morte ao imperador.

Alucinado, tenho medo do escuro, de altura e de mim
Espelhos causam asco e tenho medo do inicio e do fim
Não reconheço o meu reflexo e nem minha perenidade
Padeço ante o silêncio da noite e pereço na eternidade.

E Junho é gelado, pois bebamos a saúde do adversário
No mês em que minha morte completa outro aniversário
A morte é um estado de nada e o nada é o estado do ser
E portanto nada espero da morte, nada espero de nascer.

E não há em mim apenas um átomo que não seja rima
E nenhuma célula cancerígena que a ela não reprima
Mas não há neste dia nada a ser anotado em meu diário
Apenas o dia após outro, folha arrancada do calendário.

25/06/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.