Barata Cichetto: Poeta, Escritor, Webdesigner, Editor
Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A.
Reprodução Proibida!

domingo, julho 31, 2016

Fedidas & Fodidas

FEDIDAS & FODIDAS
Barata Cichetto
Do Livro "Troco Poesia Por Dinamite"


E quanto a mim, prefiro foder mulheres fedidas
Sentir da bunda o cheiro das merdas dormidas.
Pelos grudados no cu, um torrão duro de bosta
Fodendo o cu fedido do jeito que o pau gosta.

Adoro foder mulheres fedendo a merda e urina
A sujeira da pele brilhando na luz da purpurina.
O cheiro do esperma velho das fodas antigas
Inundando o quarto de saudades e lombrigas.

Adoro foder as putas sujas, melhor as fedorentas
Bom dinheiro pelas limpas, outro pelas  nojentas.
Na sujeira está a poesia da putaria, da imundice
Higiene na cabeça, sujeira no cu minha crendice.

Adoro foder um cu no meio de uma linda bunda
Enquanto meu dedo na buceta gosmenta afunda.
Amo arregaçar as pregas sujas com o meu caralho
Igual arregaça a buceta de uma virgem o bandalho.

A sujeira é doce e da imundice da carne eu abuso
E faço dela minha delicia e do prazer me lambuzo.
Fedas e fodas comigo, putinha de cabelos sujos
Sujes de mim sua pele, da sujeira dos ditos cujos.

Da sujeira sou o bardo e carrego imundice na mente
Sou poeta sujo e da sujeira é que carrego a semente.
Minha poesia é imunda, fede bosta e quero a sujeira
Feito ao porco chafurdando na merda à sua maneira.

24/05/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.