AVISO SOBRE DIREITOS AUTORAIS


PARTE DO CONTEÚDO DESTE BLOG É ESPELHADO DO BLOG PORNOMATOPEIAS. O CONTEÚDO FOI RESTAURADO EM 01/09/2019.
Plágio é Crime: Todos os Textos Publicados, Exceto Quando Indicados, São de Autoria de Luiz Carlos Cichetto, e Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A. (Escritório de Direitos Autorais) - Reprodução Proibida!


27/01/2020

Íncubo

Íncubo
Barata Cichetto



Quero entrar pela tua janela feito um anjo safado,
Pendurar no cabide as minhas asas e ficar pelado.
Andar pelo quarto quieto, nas pontas dos dedos,
Vendo sombras vivas que habitam teus segredos.

Vou-te olhar deitada sob o branco clarão da lua,
Enquanto dorme pintada de estrelas, bela e nua.
Pegar uma cadeira e me sentar junto a teu leito,
E sem te tocar, fazer amor como nunca foi feito.

De manhã, quando pela mesma janela entrar o sol,
Partirei te deixando coberta apenas com um lençol,
E anjo vadio, irei aos deuses confessar meus desejos,
Enquanto acorda serena, embriagada de meus beijos.

Nunca saberá de mim, duvidará da própria sanidade,
Mas dentro de si sempre haverá o fruto da eternidade,
E quando eu à Terra retornar, feito um homem carnal,
Nos amaremos até chegar a última noite do juízo final.

14/12/2019
©Luiz Carlos Cichetto

26/01/2020

Gyroscópio 69 - Programa 83 - 26/01/2020

Gyroscópio 69 - Programa 83 - 26/01/2020
Produção e Apresentação: Barata Cichetto



Abertura
Barata Cichetto - A Sombra de Objetos Inexistentes - Versão 2 - 2018

1
Foghat - Slow Ride
Status Quo - Bye Bye Johnny
Ted Nugent - Baby, Please Don't Go

2
Bedlam - I Believe in You
Omnia - Fairy Tale
Wucan - King Korea (Live at Rockpalast 2016)

3
Pink Floyd - Country Song
The Kaleidoscope - Mickey's Tune
The Youngbloods - Sugar Babe

4
Barata Cichetto - Renegado (Interpretação João Ângello)
Som Nosso de Cada Dia - Massavilha
Barata Cichetto - Devastação (Interpretação João Angello)

5
Etta James - I Just Want To Make Love To You
PJ Harvey - Dress - HD Live (V Festival 2003)
Betty Davis - Come Take Me

6 - Bloco Liz
Wanda Jackson - Funnel Of Love
Johnny Cash - Get Rhythm

7 - Bloco Big Balls
"Big Balls foi um trabalho que fizemos intensamente, de cabeça e coração e não houve nenhum momento na vida dessa banda em suas várias formações, entre 1988 a 2001, que não tenha sido adjetivado como "intenso".
1996 foi um ano bastante produtivo para a banda. Lançamos o cd Big Balls vol 1 pela East West, um selo pertencente à wea com distribuição pela continental, tivemos o clip rolando na MTV, tocamos no Bem Brasil da Tv Cultura, tocamos ao vivo na Brasil 2000, Aeroanta, participamos do show da festa de fim de ano da rádio, (onde toquei com o Big Balls e com o Golpe de Estado pois o Helcio Aguirra havia fraturado a mão)." - Xando Zupo
http://www.xandozupo.com.br/2010/11/voltando-fritar-valvula-velhas-cancoes_13.html

Big Balls Live Bem Brasil Tv Cultura 1996
São Paulo / Brasil
Paulo de Tharso - Vocal
Xando Zupo - Guitarra
Pedro Crispi - Baixo
Alex Soares - Bateria

Big Balls - Balacobaco - Live Bem Brasil Tv Cultura 1996
Big Balls - A Arma e a Flôr - Live Bem Brasil Tv Cultura 1996
Big Balls - O Cego e a Guita - Live Bem Brasil Tv Cultura 1996
Big Balls - Dans la Nuit - Live Bem Brasil Tv Cultura 1996
Big Balls - Direto Pro Paredão - Live Bem Brasil Tv Cultura 1996
Big Balls - Será Possível - Live Bem Brasil Tv Cultura 1996

Encerramento
Thunderbird e DNSA - Pau No Seu Cu (Programa Ensaio)


22/01/2020

Um Fingidor Fugido do Inferno

Um Fingidor Fugido do Inferno
Barata Cichetto



Sou daqueles que fingem, nem que apenas um momento,
Estar louco, sentir o orgasmo ou ter qualquer sentimento.
Daqueles que sempre desmentem que o fingir não é sentir,
Apenas por defeito ou por efeito de meu direito de mentir.

Sou daqueles que sentem muito, mas nunca sentem nada,
Aguardando do outro lado quando o cavalo desce escada.
Que jamais aceitaria o perdão em seu último dia mundial,
E que trocam uma confeitaria por um pedaço de pão de sal.

Sou dos que morrem sem gritar, chorando na escuridão,
No silêncio profundo dos intestinos sombrios da solidão.
Daqueles que sofrem o que podem, sem pedir desculpas,
Acreditando que pedido de perdão é confissão de culpas.

Sou dos que não chegam ao Inferno por tédio e covardia,
Mas que fugiu do Paraíso antes de ser preso por rebeldia.
Daqueles que morrem todas as manhãs depois do café,
Fingindo que existir é uma mentira ou apenas ato de fé.

19/09/2019
©Luiz Carlos Cichetto

19/01/2020

Gyroscópio 69 - Programa 82 - 19/01/2019 - Liz Franco

Gyroscópio 69 - Programa 82 - 19/01/2019 - Liz Franco



Abertura
Rush - The Anarchist

Com a morte de Neil Peart fico me perguntando: onde estão indo todos? Não acredito nem em Céu nem em Inferno, mas sinto que todos estão indo a algum lugar. A Natureza não é injusta, o deus Tempo não é injusto. Falando apenas dos mais recentes: para onde foram Lemmy, Dio, Lou, Bowie e agora Neil?. Goodbye, The Professor! Obrigado ao deus Tempo por me permitir compartilhar da mesma era que esse gênio. Sinto-me grato por ter sido agraciado por estar presente neste inóspito planeta ao mesmo tempo que esses que se foram. Não tenho idéia de para onde foram, mas gostaria de ir ao mesmo lugar.

Bloco 1
Overture Rush Tribute - Something For Nothing
Rush - Limelight
Rush - Jacobs Ladder

Bloco 2
Liz Franco - Sei Que Sou Vagabunda Essencial (Participação: Amyr Cantusio Jr.)

Bloco 3
Barata Cichetto e Liz Franco - (Madame  X) - 05. Entrevista Com Uma Morta
Amyr Cantusio Jr. - (Madame  X) - 07. Rock Festival (Vermes Rock Band)

Bloco 4
(POESIA) Barata Cichetto (Interpretação Liz Franco) - Meus Baratos Amigos

Bloco 5
Wendy O Willians - Fuck'n'Roll
The Plasmatics - Brain Dead

Bloco 6
(POESIA) Barata Cichetto (Interpretação Liz Franco) - Vagabunda Essencial

Bloco 7
Cavator  - Black Magic
Acidoom - Peace With Chaos

Bloco 8
(POESIA) Liz Franco - Destino

Bloco 9
Sleep - Dragonaut
Kyuss - Gardenia
Mars Red Sky - Collector

Bloco 10
Stoned Jesus - Im The Mountain
Kadavar - Die Baby Die
Electric Wizard - Legalise Drugs  Murder
(POESIA) Barata Cichetto (Interpretação Liz Franco) - Memórias de Um Esqueleto Teimoso

Memórias de Um Esqueleto Teimoso - Barata Cichetto
Mas acontece é que ser poeta é o meu ofício
Ainda penso eu antes de me jogar do edifício
E o pedreiro ainda cheio de um ódio não secreto
Pensa: "que merda é isso sujando meu concreto?"
E pensa o engenheiro, sem calcular a minha dor
Que nada existe sem ser feito num computador.
Mas acontece que ser poeta é a minha essência
Ainda penso eu, antes de perder minha decência
E se não sei calcular a nenhum acontecimento
Encarno a dor do mundo pesada feito cimento
Carrego o desespero numa espécie na bagagem
E jogo pela janela poemas escritos por bobagem.
E se sou poeta por estilo, por ensejo ou vontade
Ainda no ultimo momento, por desejo ou vaidade
Espero encontrar um motivo para que a calçada
Não encontre meus miolos na sanha desgraçada
E continuar assim a exercer o meu ofício marginal
De ser poeta por ofício, teimosia ou idiotia original.
25/10/2013

Bloco 11
Barata Cichetto (Interpretação Liz Franco) - Universidade da Vida, Onde O Diploma é a Certidão de Óbito
Universidade da Vida, Onde o Diploma é a Certidão de Óbito - Barata Cichetto
Procuro alguém que esteja morto em meu lugar
Alguém que morra enquanto eu fico a gargalhar
Procuro alguém que esteja morto enquanto vivo
E que viva mal nas horas que apenas sobrevivo.
E procuro alguém que seja o que quero ser agora
Que manche a vida de sangue, ela que me adora
Alguém que me mate por vingança ou compaixão
Mas que faça bem feito, crime perfeito de paixão.
Procuro alguém que fique vivo em lugar de mim
E que chegue ao meu começo antes do meu fim
Alguém que queira vida, que dê a vida por viver
Então me entrego em suas mãos para sobreviver.
E procuro alguém que tenha um tanto de piedade
E que ponha termo ao que chamam de eternidade
Estou farto da morte, cansado de morrer todo dia
E preciso agora e de vez acabar com essa covardia.
13/10/2014
Cavator  - Capachos Servis

Encerramento
Rush - In The End

18/01/2020

Neil Peart

Neil Peart
Barata Cichetto

Photo: Ben DeSoto, Houston Chronicle

Com a morte de Neil Peart fico me perguntando: onde estão indo todos? Não acredito nem em Céu nem em Inferno, mas sinto que todos estão indo a algum lugar. A Natureza não é injusta, o deus Tempo não é injusto. Falando apenas dos mais recentes: para onde foram Lemmy, Dio, Lou, Bowie e agora Neil?. Goodbye, The Professor! Obrigado ao deus Tempo por me permitir compartilhar da mesma era que esse gênio. Sinto-me grato por ter sido agraciado por estar presente neste inóspito planeta ao mesmo tempo que esses que se foram. Não tenho ideia de para onde foram, mas gostaria de ir ao mesmo lugar.

10/01/2019